Pages

Subscribe:

Ads 468x60px

Tecnologia do Blogger.

sexta-feira, 11 de maio de 2012

Fórum potencializa turismo na RM Vale



O Fórum Técnico Empresarial do Codivap Turismo olhou para seus circuitos turísticos com olhar promissor em relação a colocá-los como roteiro para a Copa do Mundo.



Palestrantes: Wanilson Fickert, Bruno Omori, Maria Carolina Cunha e Zélia Chagas

 “Os Desafios da Região Metropolitana frente aos Circuitos Turísticos e a Copa do Mundo”  foi o tema do 2º Fórum Técnico Empresarial do CODIVAP Turismo, que ontem (10) das 14h às 16h, no Parque Tecnológico de São José dos Campos, promovido pelo Codivap Turismo.


Continue lendo no Portal RM Vale.

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Circuitos turísticos da RM Vale e Copa do Mundo em discussão






No próximo dia 10 de maio às 14 horas vai acontecer o 2º Fórum Técnico Empresarial do Codivap Turismo, no Parque Tecnológico de São José dos Campos. O evento tem por tema “Os desafios da Região Metropolitana frente aos desafios dos Circuitos Turísticos e a Copa do Mundo”.


Continue lendo no Portal RM Vale.

terça-feira, 24 de abril de 2012

Primeira reunião do Conselho de Desenvolvimento da RMVale e Litoral Norte empossa prefeito de São José dos Campos como presidente



Encontro que marcou o início dos trabalhos do colegiado que aplicará as políticas públicas na Região Metropolitana, contou com a presença de 38 prefeitos, um suplente e dez representantes de secretarias de Estado.


Reunião do Conselho da Região Metropolitana do Vale do Paraiba e Litoral Norte - Parque Tecnológico de São José dos Campos

O secretário de Desenvolvimento Metropolitano, Edson Aparecido, esteve na manhã de hoje, 23 de abril, em São José dos Campos, na primeira reunião do Conselho de Desenvolvimento da Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte. Os assuntos abordados foram: Eleição do presidente e vice-presidente do Conselho de Desenvolvimento; Apreciação do regimento interno provisório do Conselho de Desenvolvimento; Apresentação dos resultados dos Workshops “Construindo a Governança Metropolitana” realizados nas cinco sub-regiões; Aprovação da criação das Câmaras Temática relacionadas aos campos funcionais previstos no artigo 12 da Lei Complementar 1166/2012 – que cria o Conselho de Desenvolvimento.


Leia mais no Portal RM Vale.

quarta-feira, 7 de março de 2012

Parabéns, Cachoeira Paulista!

Parabéns, Cachoeira Paulista, pelo seus 132 anos em 9 de março!

Praça Prado Filho em Cachoeira Paulista - Foto: Adilson Sabará
Cachoeira Paulista está a 521 metros acima do nível do mar e faz divisa com os municípios de Cruzeiro, Silveira, Lorena, Canas e Piquete.
Cachoeira Paulista
RM Vale: subregião de Guaratinguetá
Aniversário: 09/03/1880
Padoreiro: Santo Antônio (13/06)
Idade: 132 anos (em 2012)
Localiza-se no Vale do Paraíba entre as Serras da Mantiqueira e da Bocaina.
Está distante 210 km de São Paulo e 212 do Rio de Janeiro.
Tudo começou com a capelinha que Sebastiana de Tal e outros devotos construíram em homenagem ao Senhor Bom Jesus, em 1780. Depois, Manoel da Silva e sua esposa fizeram doação (1784) para o patrimônio da capela de "200 braças ou 440 metros de testada que, partindo da margem esquerda do Rio Paraíba, avançada meia légua para os lados da Serra da Mantiqueira", informa o site da Prefeitura.
E por quê o nome Cachoeira Paulista?
Porque o Rio Paraíba é “encachoeirado” após o pontilhão de Ferro da MRS Logística (antiga Estrada de Ferro Central do Brasil).
Antes desse nome, a cidade teve outros sete: Porto da Caxoeira, Arraial do Porto da Cachoeira, Porto da Cachoeira, Arraial porto da Cachoeira de santo Antônio, Freguesia de Santo Antonio da Cachoeira, Vila de Santo Antonio da Bocaina,
Cachoeira Paulista também foi palco da Revolução Constitucionalista de 1992.
Seu crescimento econômico passou pela agricultura, comércio e indústria.
Viveu o período da cafeicultura, das ferrovias em um passado distante.
Hoje firma-se na vocação turísticas com ecoturismo e turismo religioso.
É palco da Canção Nova que atrai fiéis de todos o Brasil.
Vamos conhecer alguns pontos turísticos da Cidade?
A Estação Ferroviária de Cachoeira Paulista foi o ponto de ligação da Estrada de Ferro D. Pedro II, que uniu as cidades do rio de Janeiro e Cachoeira Paulista, e a Estrada de Ferro São Paulo-Rio.
A construção da Estação, em 1877, atendeu às demandas de outrora que era depósito regional da produção de café e seu produto exportado para a Corte.
Canção Nova
é uma comunidade católica brasileira fundada pelo Monsenhor Jonas Abib, em 1978. Seuge as linhas da Renovação Carismática Católica. Conta com sistema de rádio e televisão de longo alcance e estendendo-se a outros países como Portugal, Itália, Israel, Estados Unidos e França. A

Teatro Municipal de Cachoeira Paulista.
O primeiro teatro do Arraial do Porto da Cachoeira foi criado em 1883, com o nome de Teatro Comunitário.
A construção de sua sede própria só foi iniciada, em 1885, sendo concluída em 1895.

Ponte Metálica Silvio Vilas Boas
Construída, em 1875 e restaurada, em 1897, pelo engenheiro de Obras do Estudo Euclides da Cunha. A restauração completa dos encontros e colocação de aparelho de habilitação e executou outros trabalhos que foram necessários.

FURNAS Centrais Elétricas S.A.
é uma Subsidiária da Centrais Elétricas Brasileiras S.A. - Eletrobrás, vinculada ao Ministério de Minas e Energia, atuando no segmento de geração e transmissão de energia em alta e extra-alta tensão. Está sediada em Botafogo, na cidade do Rio de Janeiro. FURNAS transporta 100% da energia elétrica produzida e destinada ao Brasil pela Usina Hidrelétrica de Itaipu - Itaipu Binacional - A maior usina Hidrelétrica em operação no mundo.

Igreja do Senhor Bom Jesus da Cana Verde
foi doada pelo capitão Manoel da Silva Caldas por SESMARIAS no início do século XVIII, em 1780. A terceira igreja erguida em louvor a Senhor Bom Jesus no Vale do Paraíba. Na Capela-mor, estão os restos mortais do Primeiro Vigário de Cachoeira Paulista. Praça Bom Jesus - Bairro da Margem Esquerda

Santuário Nacional de Santa Cabeça
Iniciou-se a sua construção em 1795.
O Santuário de Santa Cabeça, em Cachoeira Paulista, está se tornando o novo ponto de romarias voltadas para o turismo religioso. A santa é invocada para interceder pelas enfermidades relacionadas a cabeça.

Museu Histórico e Pedagógico Dr. Costa Jr.
Contém o acervo de documentos e objetos referentes à Revolução Constitucionalista de 1932 - Cachoeira Paulista foi o Quartel General do setor norte, 2° DTO sob o comando do Coronel Euclides Figueiredo. Localiza-se dentro do Parque Ecológico Nelson Lorena.

Parque Ecológico Nelson Lorena
Compreende uma área de 15.230 m2, com lanchonete, parque infantil, fauna aquática e flora, 4 lagos, vagão destinado como espaço cultural, pedalinhos, churrasqueiras e quiosques. Pertence à Prefeitura Municipal. Está localizado na Rua Silva Caldas.


Rio Paraíba do Sul

É navegável e tem várias ilhas em seu leito. A bacia do rio Paraíba do Sul está situada no sudeste do Brasil. Tem uma área total de 55400 km². Inclui territórios dos estados de São Paulo (13500 km²), Rio de Janeiro (21000 km²) e Minas Gerais (20900 km²), caracterizando-se por ocupar um bioma marcado pela Mata Atlântica. Está inserida na região hidrográfica do Atlântico Sudeste.

Represa da Unisna Hidrelétrica da Serra da Bocaina
Uma das primeiras Usinas do Estado. Foi construída em 1912 e ainda se encontra em funcionamento.

Cachoeira da Bocaina
Localizada no Rio bravo, com 80 m de extensão e um desnível de 20 m, propício para camping e piquenique.
Informações prestadas pela Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Cachoeira Paulista. Muitas das informações e fotos estão disponíveis no site da Prefeitura.
Antonia Alves
Editora do Portal RM Vale
Matéria originalmente publicada em www.rmvale.com.br

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

RM Vale: Novas Regiões, Mais Desenvolvimento


*Flavio Amary
Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte demandará esforços e investimentos em tecnologia, cultura, meio ambiente, sustentabilidade, planejamento do solo e mobilidade urbana


A nova Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte, décima criada no País, já é estratégica para o crescimento da macrorregião paulista. Servida pela rodovia Dutra (eixo São Paulo – Rio), envolve 39 municípios que abrigam quase dois milhões de habitantes, áreas em que o mercado imobiliário já encontrou campo fértil faz um bom tempo.

Para facilitar o planejamento e a definição de prioridades conforme a necessidade de cada localidade, a nova Região Metropolitana se divide em cinco sub-regiões paulistas: São José dos Campos, Taubaté, Guaratinguetá, Cruzeiro e Litoral Norte.

Ali, por exemplo, grandes obras deverão interagir entre si, a exemplo do trem-bala, de 511 quilômetros de extensão e que demandará investimento de 33,2 bilhões de reais, da duplicação do trecho de cerca de 50 km da Rodovia dos Tamoios, que liga o Vale do Paraíba ao Litoral Norte e da expansão do Porto de São Sebastião, que deverá ter uma capacidade 30 vezes maior do que a atual.

Além da garantia de desenvolvimento socioeconômico das cidades, haverá fomento a cooperação, descentralização, articulação e integração entre diversos âmbitos do governo. O Poder Público, pautado pelas orientações da Política Nacional do Meio Ambiente e Planejamento Urbano, a sociedade civil organizada e mesmo as entidades representativas da cadeia imobiliária, como o Secovi-SP (Sindicato da Habitação) podem e devem atentar para aspectos que garantam a manutenção da qualidade de vida da população local, frente a profícua expansão e valorização urbana.

A preservação ambiental e cultural de cada município, a condução sustentável das inovações tecnológicas e econômicas inerentes a esse crescimento, até em função do advento do pré-sal, no Litoral Norte, e, principalmente, a reorganização dessas cidades a partir de um planejamento do solo compatível com a infraestrutura necessária à mobilidade urbana, à segurança, ao saneamento público e ao lazer, são alguns exemplos de como se mantém essa qualidade, inclusive com a redução das desigualdades sociais e regionais.

É importante lembrar também que, embora estas sejam cidades interligadas, similares e regidas por um perfil aglutinador, cada qual merece atenção diferenciada, particularmente no que se refere à idealização e implemento de novos projetos inerentes ao setor imobiliário.

A exemplo do que acontece em quase todas as localidades paulistas, o Sindicato está presente e atuante nessa nova seara, por meio de sua unidade regional instalada em São José dos Campos, município sede e foro de autarquia ligada à Secretaria de Desenvolvimento Metropolitano que será fundamental nesse processo, pois arrecadará receitas, elaborará planos, programas e projetos de interesse comum e estratégico.

*vice-presidente do Interior do Secovi-SP

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Para Prefeita De Campos Do Jordão, Problemas Da RM Vale São Os Mesmos


“Nossos problemas são os mesmos. Somente muda o nome do prefeito e a cidade: o destino do livro, as dificuldades das estradas e da saúde,” desabafou a Prefeita de Campos do Jordão, e anfitriã do evento que sancionou a Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte (RM Vale), em 9/1/2012, pelo governador Geraldo Alckim.
Registrou que nas reuniões mensais do Codivap foi possível perceber que esses problemas são comuns e que precisariam ser resolvidos de maneira inovadora. Por isso, agradeceu a sensibilidade e luta do secretário Edson Aparecido e do Governador para tornar esse processo realidade. “Nada mais que transformar nossa região em região metropolitana para que a mesma possa resolver os nossos problemas. Então, a gente só tem a agradecer,” acrescentou.
Salientou que a diversidade da região, suas belezas naturais sejam no Litoral Norte ou na Serra da Mantiqueira, ou ainda em suas desenvolvidas indústrias.  “Hoje estamos aqui, nesse lindo e maravilhoso evento, para sancionar uma lei que vai proporcionar desenvolvimento a nossa região,” finalizou.

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Elogios E Descontração De Maluf Na Sanção Da RM Vale


A participação do Deputado Federal Paulo Maluf na sanção da RM Vale – Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte – em Campos do Jordão, em 9 de janeiro de 2012, foi marcada por elogios e descontração. “Podemos dizer que temos um governador com G maiúsculo sob o aspecto de ética e de eficiência administrativa,”elogiou o governador Geraldo Alckim.
Até disse que Alckim “é um verdadeiro sacerdote a serviço dos mais humildes e necessitados”, por isso, pediu para ser incluído no rol de seus amigos. Para o deputado, o governado tem um patrimônio inestimável sob o ponto de vista de amigos e admiradores. O secretário Edson Aparecido, afirmando que “é um homem que está a altura do atual governo paulista,” elogiou.
Arrancou risos da platéia ao comparar sua faculdade de Engenharia na Poli-USP com a de um amigo no ITA, dizendo “que parece que o ITA está suplantando a Poli”. Ou ainda em se colocar como um “animal político em extinção por estar casado com a mesma mulher há 56 anos, morar na mesma casa há 46 anos e estar no mesmo partido há 44 anos”.
Segundo Maluf esses qualitativos lhe dá autoridade para falar dos problemas do País com propriedade. Pois desde que foi presidente da Caixa Econômica Federal, estabelecendo o primeiro plano de habitação do País, em 1967, muita coisa continua desafiadora. Para o deputado uma região metropolitana vem sanar os problemas de um prefeito querer investir no município vizinho – situação proibitiva enquanto jurisdição municipal.